15/03/2010

O doce sal da língua

Recuperei o contacto com uma professora do ISEC e lá fui eu a uma formação de poesia ou melhor de estratégias para ensinar e trabalhar poesia... como me sinto com pouca imaginação, mas ainda assim depois publicarei algumas das criações que fiz ao longo daquele dia trabalhoso.


FORMADORA
Dulce de Souza Gonçalves

Lema profissional: Verba docent, exempla trahunt
(as palavras ensinam, os exemplos clarificam).

Livros Publicados

Ausência

Nunca Unca

O Soldado que queria ir à Guerra

Trava-Línguas

Ilustrações de Jaime Lopes http://jaimegrafick.com/site/


OBJECTIVOS
Reflectir sobre a questão da Literacia e a
importância da Literatura;
Reconhecer a importância da tradição oral
e da poesia na motivação literária infantil e
da animação da leitura no contexto educativo;
Motivar a leitura e a escrita poética;
Apreender estratégias discursivas e recursos
técnico-expressivos;
Experimentar práticas de animação de leitura
/ escrita poética.

Um dos muito poemas que deu o mote à conversa e aos rios de imaginação que correram por aquela sala afora...


O sal da língua
Eugénio de Andrade

Escuta, escuta: tenho ainda

uma coisa a dizer.
Não é importante, eu sei, não vai
salvar o mundo, não mudará
a vida de ninguém - mas quem
é hoje capaz de salvar o mundo
ou apenas mudar o sentido
da vida de alguém?
Escuta-me, não te demoro.
É coisa pouca, como a chuvinha
que vem vindo devagar.
São três, quatro palavras, pouco
mais. Palavras que te quero confiar,
para que não se extinga o seu lume,
o seu lume breve.
Palavras que muito amei,
que talvez ame ainda.
Elas são a casa, o sal da língua.

1 comentário:

BroTTas disse...

um dia sem o meu amor... custou a passar... bua não quero mais...