16/12/2009

AVATAR

Podia escrever centenas de linhas para descrever este filme, mas nas palavras de Carol Almeida (Rio de Janeiro), descobrir uma síntese poderosa:


O francês Antonie-Laurent Lavoisier era um químico visionário num mundo analógico. O canadense James Cameron é um visionário cineasta em um mundo digital. Mas ambos se encontram na frase mais famosa que Lavoisier proferiu no século XVIII: "Na natureza, nade se perde, nada se cria, tudo se transforma". Substitua "natureza" por "cinema" (ou qualquer arte narrativa) e você tem a receita perfeita para que, de velhos e conhecidos ingredientes, surja um prato inédito, nunca dantes degustado.


Para além desta fabulosa síntese, o site que encontrei dá uma ideia brilhante sobre tudo o que se pode especular sobre o filme...



Avatar, o filme que pretende mudar a indústria do cinema tal como a conhecemos - segundo seu criador, o diretor visionário supracitado -, nada mais é que uma receita que mistura referências em nossa memória cinematográfica e, com ela, cria um prato cujo cheiro se sente não com o olfato, mas com o único sentido que, agora, mais do que nunca, é totalmente absorvido pelo cinema: o olhar. Confira então a receita dessa produção:
Ingredientes:
- sumo de 
Guerra nas Estrelas
- 1 copo (tipo americano) cheio da filmografia de Hayao Miyazaki
- 3 colheres de chá de 
Matrix
- 1 pitada de 
Titanic (obra prévia de Cameron)
- 1 pitada de 
O Segredo do Abismo(outra obra prévia de Cameron)
- algumas substâncias químicas alucinógenas, muito populares em boates e que dão todo aquele visual neon na pista de dança
- vários, vários mesmo, litros do que há de melhor na computação gráfica em 3D e captação de cenas com tecnologia IMAX.



Para ler mais sobre esta receita, use o utensílio http://cinema.terra.com.br/interna/0,,OI4157087-EI1176,00-Terra+viu+Avatar+o+filme+da+decada+saiba+o+que+esperar.html


Trailer aqui 


Pessoalmente posso dizer que AMEI este filme, simplesmente adorei, as cores, a floresta, os bichos...
Estava a torcer para que outra raça, que não a minha, humana vencesse - impressionante não é? O filme retrata uma ligação tão forte e profunda de um povo à natureza, desprovido de bens materiais, completamente dependente e unido, por vontade própria à Natureza... O mito da volta às origens!


Detalhes de adorei:
- as árvores brancas e neon;
- as esteiras onde descansavam;
- o chão que acendia ao passar;
- as cores, os cabelos, o ar de felinos que o Na'vi têm
......



Simplesmente espectacular, VÃO VER

2 comentários:

Domos disse...

Tanto se fala desse filme...
Não gosto de filmes com esse tipo de animação, mas com tanta conversa fico curioso de o ver!!!

Sem bem vindos! disse...

Claro, essa é uma visão de uma pessoa que entendi "muito" de cinema! Penso eu que você só lêu este post, que está no seu blog, sobre Avatar. Claro, pra falar e pegar carona na fama de outros é fácil.

Se é tão fácil fazer um filme desses, crêio eu que você não deveria está escrevendo um blog e sim um filme como Avatar ou melhor um sem "receita"!

Engraçado, filmes como Avatar sendo descrito com post pobre e comentários mais pobres; e a única coisa que tu podes fazer é um post sobre o mesmo que se encontra em qualquer blog, post como o seu existe aos montes, claro fazer um post como esse dever ser muito difícil. Vou até te dar uma receita:

1 - Pegue uma pessoa que entendi muito, mas muito pouco sobre um assunto e não lêu nada mas que o próprio texto, depois de escrito.
2 - Uma pessoa que quer pegar carrona na fama do assunto do momento.
3 - Uma pessoa que somente tem um blog e acha que sua opnião sem contexto e sintaxe é mais importante do que o assunto sitado no texto.

É tudo se transforma, pelo menos Cameron fez algo de importante e legal! Pena que não posso dizer o mesmo de seu post.

E Domos (comentário) esse filme não é animanção (longa metragem de animação) e ficção científica. Mais um que acha que é um ser único e supromo. Então é melhor eu chama-los de deuses.