09/11/2009

20anos depois da Queda da Cortina de Ferro

O Muro de Berlim foi uma realidade e um símbolo da divisão da Alemanha em duas entidades estatais, a República Federal da Alemanha (RFA) e a República Democrática Alemã (RDA).


Este muro, além de dividir a cidade de Berlim ao meio, simbolizava a divisão da Europa em dois blocos ou partes: Berlim Ocidental (RFA), que era constituído pelos países capitalistas encabeçados pelos Estados Unidos da América; e Berlim Oriental (RDA), constituído pelos países socialistas simpatizantes do regime soviético.

Em 13 de agosto de 1961, guardas da República Democrática Alemã (RDA) começaram a fechar com arame farpado e concreto a fronteira que separava as partes oriental e ocidental de Berlim, bem como Berlim Ocidental do território da Alemanha Oriental.

Agravou-se assim a divisão da Alemanha no pós-guerra, dificultando a fuga de alemães-orientais para o Ocidente.

Este muro provocou a morte a 80 pessoas identificadas, 112 ficaram feridas e milhares aprisionadas nas diversas tentativas de o atravessar.


O Muro de Berlim caiu no dia 9 de Novembro de 1989, acto inicial da reunificação das duas Alemanhas, que formaram finalmente a República Federal da Alemanha, acabando também a divisão da Europa em dois blocos. Para muitos foi também este o momento do fim da guerra fria - a Queda da Cortina de Ferro.
Na opiniõe de outras a Divisão da Europa Ocidental e do Bloco de Leste, teve o seu fim efectivamente com a celebração de reunificação da Alemanã, em 3 de Outubro de 1990 e aqui sim o fim da Guerra Fria.

Na celebração, além da reconstrução de alguns trechos está marcado no chão o percurso que o muro fazia quando estava erguido.

E como hoje se celebra... muito se pode encontrar e ler...

“Como é que se vai para o Ocidente?


Estávamos ébrios de felicidade. Alguns deles ainda sentem a ressaca. Depois de 28 anos puderam passar a fronteira – assim, sem mais, foram abraçados por pessoas que nunca tinham visto antes, dançaram e cantaram e festejaram o reencontro, o mundo suspendeu a respiração. Agora estão de novo em casa, procuram tirar as conclusões sobre o que se passou, o que significou, como ia continuar. Fora tudo tão irreal, conta uma berlinense de quarenta anos que logo na quinta-feira tinha corrido para o ocidente. Sempre de novo abordava as pessoas, só para se certificar de que não era um sonho. Marlie

Menge, jornalista”, L. SCHEIDL (1999:50,51)

“O fim do antagonismo Este-Oeste e a reunificação política e económica do continente constituem a vitória do espírito europeu, um espírito de que os povos europeus precisam hoje mais do que nunca” P. FONTAINE, (2003:10)

“Enquanto nós vivíamos a euforia com a construção de Brasília, nos anos 50, os alemães recolhiam ruínas”. A frase do arquiteto Pedro Moreira resume o que por muitos anos fez o povo alemão após a Segunda Guerra, em 1945: reconstruir o país. Mas a paisagem urbana não foi refeita de forma homogênea. Com o Muro de Berlim, surgiram não só duas Alemanhas, mas diferentes estilos arquitetônicos." Carolina Iskandarian

Postdamer Platz é uma das praças mais famosas e foi dividida em dois quando o muro foi erguido. O Metrô ali parou de funcionar. Do lado oriental, ficou um enorme vazio. Hoje, ela é um dos símbolos da reunificação e da queda do comunismo. Reúne prédios modernos, coloridos, restaurantes, cores e luzes.

http://www.youtube.com/watch?v=R2Eyao-2KWo

Wind Of Change Vento da Mudança




I follow the Moskva Eu sigo o Moskva

Down to Gorky Park Até o Parque Gorki

Listening to the wind of change Escuto o vento da mudança

An August summer night Uma noite de agosto

Soldiers passing by Soldados caminhando

Listening to the wind of change Escuto o vento da mudança



The world is closing in O mundo está próximo

Did you ever think? Você já imaginou

That we could be so close, like brothers Que podemos ser parentes,irmãos?

The future's in the air O futuro está no ar

I can feel it everywhere Posso senti-lo aqui

Blowing with the wind of change Soprando com o vento da mudança
(...)

Walking down the street Caminhando pela rua

Distant memories Recordações distantes

Are buried in the past forever Enterradas no passado, para sempre
(...)
Take me to the magic of the moment Leve-me à magia do momento

On a glory night Numa noite de glória

Where the children of tomorrow dream away Onde as crianças compartilham os seus sonhos

In the wind of change Com a mudança



O vento muda as páginas do livro, como as mentalidades têm força para mudar o curso da história. São personalidade que obrigam a mudança, criando-nos a nós, a nossa história, fazendo-nos ver o Mundo...

Sem comentários: