16/03/2009

Maria Jesus Alava Reyes

Leiam...recomendo vivamente...só me falta "Nem as mulheres são tão complicadas, nem os homens são tão simples", mas os outros valem muito a pena.

E por curiso que possa parecer o livro foi recentemente falado na Rádio, a autora esteve em Portugal faz bem pouco tempo e este Fim-de-semana, na newsletter de emprego do Expresso, ...saiu um artigo, que quero partilhar com vocês!!!
Optimismo, bom humor, auto-estima e inteligência emocional são as armas que María Jesús Álava Reyes aconselha a utilizar para vencer a batalha contra os maus chefes, colegas invejosos e adversidades no emprego. A psicóloga espanhola esteve recentemente em Portugal a divulgar o seu último livro “Trabalhar sem Sofrer”, no qual dá conselhos que ajudam a superar problemas e a sentir-se bem no seu trabalho.

“Este livro foi motivado pelas muitas pessoas que me chegavam às consultas de psicologia com problemas no trabalho. Em muitos casos de depressão, ansiedade e de terapia do casal, dávamo-nos também conta de que o trabalho estava a condicionar as suas vidas”, conta a psicóloga. Em média, cada ser humano passa dois terços da sua vida a trabalhar.
Na maioria dos casos as condições laborais não são fáceis, e ao longo de uma carreira profissional é normal encontrar maus chefes, colegas invejosos, entre outros problemas. “O livro proporciona ferramentas para lidar com as situações, mesmo que sejam difíceis, e continuar em frente”, salienta María Reyes.

Dividido em oito capítulos, o livro “Trabalhar sem Sofrer” passa em revista muitos dos problemas que surgem no emprego. A escritora apresenta casos práticos que tratou e explica, de forma simples, como estes se resolveram. A inveja de colegas, a falta de valorização por parte das chefias, os colegas que querem subir na carreira a todo o custo sem olhar a quem prejudicam, os momentos de dúvida em que o trabalhador resolve mudar de vida por insatisfação laboral, etc., são alguns dos pontos focados.

“Temos de trabalhar com inteligência emocional e deixar de lado a ideia de que se as condições laborais são difíceis, não podemos estar bem”, salienta a psicóloga. Na sua visão dos problemas e por mais adversas que as condições possam ser, o trabalhador pode sempre sentir-se bem no seu local de trabalho. Para tal há que evitar cometer erros simples e seguir determinadas regras que surgem pormenorizadas no livro “Trabalhar sem Sofrer”.
No âmbito dos erros, adianta a psicóloga que é importante “afastar o pessimismo, valorizando-se sempre, não deixando cair a auto-estima”. Não falar mal dos colegas, não perder a alegria e recuperar as forças com o bom humor, não se menosprezar e não se esgotar perante as adversidades, são mais alguns dos pontos que salienta.

Quanto às regras para se sentir bem lembra que “o trabalho é importante mas não é o mais importante na vida. Existem muitas pessoas que se confundem e acabam por não viver a sua vida”. Desligar-se do trabalho assim que sai dele; guardar trinta minutos por dia para si próprio; dizer não aos chefes, colegas e mesmo clientes; não cair em provocações; actuar com inteligência emocional e conseguir que o seu bem-estar dependa de si, são mais algumas ideias que a psicóloga considera que se deve colocar em prática.

Para María Reyes, hoje trabalha-se mais horas, com maior intensidade e mais pressão. Um trabalhador tem muitas vezes de lidar com a falta de reconhecimento por parte de chefias e colegas, acrescida de dificuldades em conciliar a família com a profissão. Tudo isto se passa “num meio muito competitivo, onde há quem queira subir a todo o custo e onde existe inveja”, salienta María Reyes.

Na luta contra invejosos e manipuladores, a psicóloga aconselha a técnica da assertividade, que consiste em dizer as coisas claramente, no momento adequado e da forma mais oportuna para conseguir os fins em vista. É preciso saber dizer não sem ter de se justificar ou sentir-se mal por isso. Nas sociedades actuais o trabalho adquiriu uma tal importância na vida das pessoas que “cerca de 40% das depressões estão relacionadas com problemas no trabalho”, frisa a psicóloga.
Tendo em conta a situação de crise económica actual, em que muitas pessoas enfrentam situações de desemprego, a psicóloga deixa também a estas alguns conselhos de actuação. O importante é não ficar em casa à espera de uma oportunidade. Analise o que sabe fazer e o que poderá executar para além disso, fale com a sua rede de conhecidos e amigos para avisar que está à procura de emprego e avance com propostas — quer haja ou não vagas — às empresas onde pensa que se poderia encaixar.
“O importante é conseguir uma entrevista e mostrar ao empregador que não deve perder a oportunidade de o contratar. Se mostrar que é uma pessoa confiante e positiva, motivada e pró-activa, é mais fácil conseguir um emprego. E em tempos de crise as empresas procuram este tipo de pessoas”, finaliza María Reyes.

1 comentário:

Anónimo disse...

Li este artigo. E achei fascinante!!! Vejo que realmente temos que nos pegar a determinadas crenças para conseguirmos levar o nosso dia-a-dia no trabalho com alguma satisfação. Pois nos momentos que se vivem nas empresas é pessimo. Já que algumas se aproveitam da crise para tratarem as pessoas como meros objectos de trabalho. Obrigado